2
Campo Grande - MS Busca
Política

Presidente da ALEMS participa da adesão ao pacto nacional pela consciência vacinal

O Pacto Nacional pela Consciência Vacinal é uma ação do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), por iniciativa da Comissão da Saúde.

15:15 - 02 out 2023 | Por Douglas Duarte

Créditos: ALEMS

O presidente da Assembleia Legislativa, Deputado Gerson Claro, participou na manhã desta segunda-feira (2) da adesão de Mato Grosso do Sul ao Pacto Nacional pela Consciência Vacinal, iniciativa do Conselho Nacional do Ministério Público que visa conscientizar a população sobre a importância de aumentar o nível de cobertura vacinal em todo o País.

“A Assembleia Legislativa é parceria desta iniciativa. Resgatar a consciência da sociedade, sobretudo, dos pais, para a importância de manter em dia a caderneta de vacinação dos seus filhos. Infelizmente, há um inexplicável fenômeno mundial de resistência à vacina, onde se mistura a polarização política, com doses de terraplanismo científico. A vacina foi fundamental para superarmos a pandemia”, destacou o deputado.

O Pacto Nacional pela Consciência Vacinal é uma ação do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), por iniciativa da Comissão da Saúde. A ação foi lançada em 30 de novembro de 2022, com o propósito de conscientizar a população acerca da importância da vacinação prevista no PNI (Plano Nacional de Imunização) para a prevenção de doenças, visando retomada de índices seguros e homogêneos de cobertura vacinal em todo o território nacional.

Adesão

Mato Grosso do Sul é o 10° estado do Brasil a aderir ao pacto. Segundo o presidente da Comissão de Saúde do CNMP, Jaime de Oliveira.

A ideia é mobilizar o Ministério Público em todo o país, regiões e municípios, e a partir disso levantar os índices de cobertura vacinal do plano nacional de imunização em cada município e tomar iniciativas concretas e adequadas de acordo com cada realidade. 

Com atenção voltada aos baixos índices de cobertura vacinal, o CNMP vai atuar para levantar dados sobre os motivos que levam a população a não se imunizar, com foco especial na poliomielite e sarampo.

“A pólio, em 2010, estava erradicada do Brasil, com 95% de cobertura vacinal. Em 2020, o índice estava em 67%. Estamos tentando resgatar isso, é uma questão de saúde pública”, disse Oliveira.

“É fundamental fazer o resgate para que as pessoas voltem a se vacinar. Estamos discutindo vacinas básicas que estavam erradicadas e as doenças estão voltando”, pontuou o procurador-geral do Ministério Público do Estado, Alexandre de Lacerda.

Segundo secretária-adjunta de Estado de Saúde, Crhistinne Maymone, este movimento é extremamente importante porque vem a somar para estimular a população a cumprir o calendário vacinal, evitando uma série de doenças que já eram erradicadas no Brasil.

“Nós sabemos que temos indicadores vacinais mundiais e nacionais que vieram decrescendo ao longo dos últimos anos”.

Já o governador Eduardo Riedel ao assinar o termo de adesão disse que a iniciativa evidencia o compromisso com a saúde pública da população de Mato Grosso do Sul.

“Todas as nossas ações são voltadas para garantir que a nossa gente tenha acesso à saúde. E as iniciativas que contribuem para este fim terão o nosso apoio”, afirmou o governador.

Riedel colocou toda a estrutura do estado à disposição para ampliar o nível 1 de cobertura vacinal em Mato Grosso do Sul.

Web Stories

Adolescente mata a família por ter celular confiscado Ex-vereador é morto após confusão em evento de confraternização Dicas para bons hábitos de sono para crianças Militar perde a vida após acidente grave em Aquidauana Traficante “Gringo” é executado