2
Campo Grande - MS Busca
Educação

Luta do professor Juari pela integralização do salário dos professores foi aprovada e terá aumento ainda neste mês

A repactuação é baseada na Lei Municipal 6.768, de 25 de março de 2022.

16:32 - 04 out 2023 | Por Douglas Duarte

Créditos: ASCOM

Em uma sessão unânime realizada na última terça-feira (3), a Câmara Municipal de Campo Grande aprovou o Projeto de Lei 11.139/23, que representa uma conquista para os professores da Rede Municipal de Ensino. A proposta, que trata da repactuação da lei referente à integralização do valor do piso nacional do magistério para jornadas de 20 horas semanais, estabelece um cronograma de reajustes escalonados que beneficiarão os educadores.

De acordo com o projeto aprovado, os professores terão um aumento de 5% a partir deste mês, seguido por mais 5% em janeiro de 2024 e 4,95% em maio do mesmo ano. Em setembro de 2024, está prevista uma correção de 30% da correção anual do piso, seguida por um incremento de 70% em dezembro.

Além disso, o projeto autoriza o Poder Executivo a operacionalizar a repactuação com reajustes de 12%, 14%, 15,79% e 10,39% nos meses de setembro de cada ano entre 2025 e 2028, juntamente com a configuração de 100% da correção anual do piso em maio.

“É uma vitória para a Educação! Todos sabem da força que a educação tem, todos os profissionais, toda a comunidade escolar. E graças à força dessa categoria que, hoje, temos essa repactuação. Assim, acreditamos que nossa educação pode chegar no ideal em 2028, com 100% da pactuação”, disse o vereador professor Juari, presidente da Comissão de Educação e Desporto da Câmara Municipal.

Essa medida representa um passo significativo em direção à valorização dos educadores e ao fortalecimento da qualidade da educação pública em Campo Grande, garantindo melhores condições de trabalho e remuneração mais justa para os professores.

A repactuação é baseada na Lei Municipal 6.768, de 25 de março de 2022, que integra o valor do piso nacional à revisão dos professores que cumprem jornada de 20 horas semanais na Capital.