2
Campo Grande - MS Busca
Últimas Notícias

Fusão do Patriota com o PTB não é vista com bons olhos por Lidio Lopes, Presidente Estadual do Patriotas MS.

Fusão do Patriota com o PTB não é vista com bons olhos por Lidio Lopes, Presidente Estadual do Patriotas MS. O presidente estadual do Patriota, deputado estadual reeleito Lidio Lopes, não vê com bons olhos a fusão do seu partido com o PTB, que em Mato Grosso do Sul é comandado pelo ex-senador Delcídio do […]

04 nov 2022 às 23h58min |
Compartilhe:

Fusão do Patriota com o PTB não é vista com bons olhos por Lidio Lopes, Presidente Estadual do Patriotas MS.

O presidente estadual do Patriota, deputado estadual reeleito Lidio Lopes, não vê com bons olhos a fusão do seu partido com o PTB, que em Mato Grosso do Sul é comandado pelo ex-senador Delcídio do Amaral.

Em entrevista concedida recentemente para uma rádio local, ele lamentou o fato, mas admitiu que é a única saída para Patriota e PTB atingirem a cláusula de barreira e, desta forma, garantirem a sobrevivência política.

Ele ressaltou que pegou a legenda para ser construída em Mato Grosso do Sul, e hoje, graças a esse trabalho, o Patriota está presente em 73 municípios do Estado. “Além disso, tivemos chapa de vereadores em 55 municípios e, atualmente, somos o quarto maior partido do Estado em número de prefeitos, com cinco gestores municipais, incluindo a Prefeitura de Campo Grande, onde a Adriane Lopes assumiu o cargo. Temos também 35 vereadores eleitos pelo Patriota, e, proporcionalmente, Mato Grosso do Sul é o Estado onde a sigla tem mais prefeitos eleitos no Brasil”, pontuou.

Lidio Lopes reforça que, para cumprir as cláusulas de barreira, que estabelecem 2% dos votos válidos em todo o País e em nove estados diferentes, o Patriota teria de formar uma bancada de no mínimo nove deputados federais.

“Infelizmente, o Patriota não conseguiu isso nesta eleição, elegendo só cinco deputados federais, e isso dificultou ultrapassar a cláusula de barreira, obrigando a legenda a fazer uma fusão com um outro partido, para que juntos possam atingir esse número mínimo para a existência das siglas”, explicou.

Nessa fusão, que será com o PTB, deve sumir o nome Patriota e PTB para a criação de uma nova legenda. “Agora, teremos um período de avaliação das questões partidárias, mesmo porque, quando surge uma possibilidade de fusão, os parlamentares que já estão no mandato podem definir se permanecem ou vão para outra sigla”, informou, deixando transparecer que ele e a esposa Adriane Lopes podem migrar para outra legenda.

“O grande problema de uma fusão é a ideologia partidária”, pontuou, lembrando que o Patriota é um partido que foi fundado com bases cristãs e familiares, pelos princípios de um partido de direita e com muito respeito pelo País.