2
Campo Grande - MS Busca
INFRAESTRUTURA

Em reunião na ALEMS, Governador apresenta plano de investimento com recursos do BNDES

O pacote de investimentos prevê a pavimentação de 600 km em rodovias estaduais e mais 300 km de recapeamento.

14:30 - 30 ago 2023 | Por Douglas Duarte

Créditos: Luciana Nassar

O empréstimo de R$ 2,37 bilhões que o Governo do Estado planeja contratar junto ao BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) vai garantir a execução de 900 km em obras de pavimentação e recapeamento de estradas estaduais. Nesta quarta-feira (30), o governador Eduardo Riedel esteve na Assembleia Legislativa, e se reuniu com os 24 deputados para detalhar o plano de aplicação dos recursos. O projeto com o pedido de autorização para o Executivo contratar o financiamento já está em tramitação na ALEMS.

O pacote de investimentos prevê a pavimentação de 600 km em rodovias estaduais e mais 300 km de recapeamento. Entre as obras previstas está a pavimentação da MS-134, no trecho que fica entre a MS-040 e a BR-267, no distrito de Casa Verde, assim como a restauração da MS-276, que vai do distrito de Indápolis ao município de Deodápolis.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gerson Claro, avaliou como “positivo” o pacote de investimentos anunciados, porque atende a uma necessidade premente do Estado para consolidar o grande volume de investimentos privados já contratados, boa parte em andamento. “São mais de R$ 60 bilhões em projetos que vão exigir melhorias na estrutura viária do Estado, que terá de absorver um fluxo muito maior, principalmente de carretas”, argumenta. Uma das obras estratégicas, na avaliação de Gerson, e o asfaltamento da MS-134, que conectará a BR-267 a MS-040, ambas ligação com o Estado de São Paulo .

Foto: Assessoria

Foto: Assessoria

Segundo o governador Eduardo Riedel, o financiamento junto ao BNDES foi escolhido em função da flexibilidade nas escolhas dos projetos (investimentos). Além disso, só será possível devido ao momento de boa capacidade de pagamento do Estado, que é letra “A” na Capag (Capacidade de Pagamento), avaliação feita pelo Tesouro Nacional, com indicadores sobre o baixo endividamento, poupança corrente e índice de liquidez do Estado.

Foto: Assessoria

Mato Grosso do Sul vai captar recursos da linha “BNDES FINEM”, que financia projetos de investimentos públicos voltados ao aumento da capacidade produtiva e fomento a diversos setores da economia. “Esta linha tem baixo risco, com condições facilitadas, dispondo de juros reduzidos e prazo de amortização considerado maior em relação às demais instituições financeiras nacionais”, assegura Riedel