2
Campo Grande - MS Busca
Policial

Acusado de vazar vídeo de ex, caminhoneiro diz que foi preso injustamente

O caso aconteceu em Campo Grande.

18:00 - 21 out 2023 | Por Douglas Duarte

Caminhoneiro de 28 anos, que pediu para não ter o nome divulgado, acusado de vazar vídeo íntimo da ex-mulher de 22 anos, disse que foi preso injustamente. Ele foi detido após a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) cumprir mandado de busca e apreensão na casa dele no dia 2 de maio, onde foram encontrados arma de fogo calibre 32 e seis munições. No dia seguinte, ele teve a prisão convertida em preventiva.

Em entrevista ao Campo Grande News, o homem contou que ficou 5 meses preso porque a ex foi à delegacia e registrou boletim por ameaça. “Ela fez isso porque não aceitava o fim do relacionamento, foi à polícia e disse que eu tinha a arma. Fui preso injustamente. Até a Justiça entender que não tinha provas nenhuma contra mim, nem fundamento, perdi minha liberdade e meu emprego”, contou.

Quanto ao vazamento do vídeo íntimo em site pornográfico que a ex o acusa, o caminhoneiro se defende dizendo que nunca fez isso. “Tem sim vídeo dela, mas não fui eu quem postou. Foi outra pessoa”, afirmou. Segundo o homem, saiu há 1 mês da prisão e que a ex mentiu para prejudicá-lo.

Caso – Na ocasião, a jovem relatou à polícia que foi casada por 2 anos com o ele e que já estaria separada há 6 meses, mas que ele não aceita o fim. Depois do término, ele passou a persegui-la. O rapaz teria pichado o muro de sua casa com xingamento, divulgado vídeo íntimo e também a agredia com socos e chutes, além de já ter enforcado. Segundo a jovem, ele era acostumado a levar a arma dentro do carro e a esconder dentro do guarda-roupa. Ela já registrou três boletins de ocorrência, por ameaça, contra o autor.

Em maio deste ano, a mulher contou à reportagem como foi a relação com o autor durante os dois anos que ficaram juntos. “As agressões começaram a partir dos seis meses com um tapa no carro quando estávamos voltando de uma festa por conta de ciúmes dele, aí depois, ocorreu novamente, foi um pouco mais agressivo que a primeira vez” contou, “a terceira vez, que foi quando eu decidi largar dele, já íamos para dois anos de casado foi de tarde na casa onde morávamos juntos, minha filha presenciou tudo”, explicou a vítima.