Campo Grande - MS Busca
Policial

Briga em boate tem tiros e até fuga de hospital

O caso aconteceu em Campo Grande.

14:42 - 06 nov 2023 | Por Douglas Duarte

O fim de festa em uma boate da avenida Afonso Pena, em Campo Grande, foi marcado por muita confusão na manhã desse domingo (5). Tudo começou com uma briga, ainda dentro da casa noturna, evoluiu para ameaças e terminou em tiros, acidente, dois baleados e até uma fuga inusitada de dentro de uma ambulância.

A polícia foi chamada por volta das 5 horas. Quando chegaram ao local as equipes se depararam com dois homens detidos por policiais de folga, duas mulheres sentadas no meio-fio – um delas ferida por um tiro na perna – e um Ford Ecosport batido em um poste.

Foram os dois policiais os primeiros ouvidos.

Eles explicaram que os dois detidos – Lucas Matheus Adonis Torres e Gustavo Matoso Medina, ambos de 23 anos – causaram uma briga dentro da boate e foram retirados pelos seguranças, mas na saída, enquanto pagavam a conta, ameaçaram um dos seguranças de morte. “Isso não vai ficar assim, vamos voltar e acertas as contas”.

Eles foram embora de carro, junto com outras três mulheres, mas no caminho, fizeram disparos em plena avenida Afonso Pena.

Pouco depois, o grupo voltou. Quando viram o Ecosport parada na frente da boate, os seguranças pediram ajuda para os militares de folga, que estavam no local. Os dois policiais saíram pelos fundos da casa noturna. Ouviram novos disparos e resolveram abordar o motorista do carro.

Gustavo estava no volante e assim que foi rendido pelos policias, acelerou. Lucas estava no banco de trás e apontou uma arma para os militares, que nesse momento, reagiram.

A tentativa de fuga não durou muito. No meio dos tiros, Gustavo perdeu o controle da direção e atingiu um dos postes da rua. Lucas foi ferido no abdômen, um das mulheres, de 29 anos, foi atingida na perna. Já o motorista e a namorada, que estava no banco da frente, tiveram ferimentos por causa do acidente.

Gustavo e Lucas foram rendidos e presos. Mas como estavam feridos, foram levados de ambulância para a Santa Casa de Campo Grande.

Lucas e a mulher baleada foram internados. Já Gustavo fugiu da ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) assim que chegou ao hospital. A namorada dele recebeu atendimento e depois foi levada para prestar depoimento.

No carro, foram encontradas uma pistola 9 mm com carregador com prolongador de 9 mm, porções de maconha e diversas cápsulas deflagradas caídas.

Lucas continua internado nesta segunda-feira (6). Ele ainda não passou por audiência de custódia, mas responde por ameaça e homicídio qualificado na forma tentada.

Essa não é a primeira vez que o rapaz vai parar na prisão. Em maio, após denúncias de uma suposta violência doméstica, Lucas foi preso com cinco armas escondidas dentro de casa, um delas era furtada. Apesar disso, ele acabou liberada durante a audiência de custódia.

O outro lado

Depois de receber atendimento médico, a namorada de Gustavo falou com a polícia. Ela contou que estava com as amigas do lado de fora da boate quando os meninos foram retirados. Segundo ela, Lucas discutiu com o segurança e o acusou de não devolver o seu cartão.

Ainda assim, eles foram embora. Ela confirmou que Lucas deu tiros para o alto na Afonso Pena, mas negou que ele tivesse apontado arma para os policiais. Explicou que eles só voltaram porque Lucas insistiu em tentar pegar o cartão e que foram surpreendidos pelos homens armados quando saiam da frente da casa noturna.

No depoimento, a vítima alegou que os vidros estavam fechados e não entendeu o que os homens falaram.

Ela ainda revelou que quando desceu entrou na frente dos policiais e pediu que eles não fizessem nada com o namorado, mas nesse momento, ele a “abraçou pelo pescoço” e os militares pediram para que ele a soltasse. Quando isso aconteceu, ele foi rendido e preso.

Gustavo, até o momento, não foi encontrado e Lucas permanece no hospital com escolta policial. O caso é investigado pela 1ª Delegacia de Polícia Civil.